Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

FINDECT participa de audiência publica, na defesa dos Correios

Tamanho Fonte:

IMG_9046

Os diretores representantes da FINDECT participaram de audiência Pública, na plenária da Câmara dos Deputados, na última terça-feira (30). Representando os Trabalhadores, estiveram presentes o vice-Presidente da FINDECT, Elias Cesário (Diviza), e também os Companheiros Anézio Rodrigues, Maxy Moraes, Wilson Araújo, André Gasperoni (Sambeg), Márcio Martins, Silvana Azeredo, e demais convidados.

01

A audiência é resultado do trabalho de conscientização dos parlamentares, que está sendo feito pela Federação. Com o tema “A Situação de Crise na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos”, uma comissão foi instaurada para debater o tema, com a participação de Deputados Federais de diferentes partidos, entre eles Leonardo Monteiro (PT/MG), André Figueiredo (PDT/CE), Maria do Rosário (PT/RS), Luciana Santos (PCdoB/PE) e Nelson Pellegrino (PT-BA).


02
“Os correios tem, hoje, 115 mil Trabalhadores. É responsável pela vida de 400 mil pessoas, considerando familiares dos Empregados. A Empresa precisa continuar com sua função social, desvinculada do lucro pelo lucro”, afirma o Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Correios, e proponente da audiência, Deputado Leonardo Monteiro.

03

O Vice-presidente da Findect, companheiro Elias Cesário (Diviza), falou aos parlamentares sobre a importância de se investir nos Trabalhadores Ecetistas: “Ontem mesmo (29 de maio) escutamos da Empresa, no TST, que caso não os Trabalhadores não aceitem a divisão 50/50 no plano de saúde, vai haver demissão em massa. Não aceitamos esse discurso. Não aceitaremos ameaças. A categoria é de lutas, e vai resistir, como sempre fez. Precisamos de maior apoio dos representantes dos brasileiros na câmara e no senado, na defesa dos Correios público, estatal, de qualidade e a serviço da população”.

04O Geógrafo, especialista e mestre em geografia Humana, Igor Venceslau, apresenta os resultados de sua pesquisa sobre os Correios. Tendo como princípio o Trabalho de graduação, a pesquisa se estendeu para o mestrado, e continua, assim como o Trabalho nos correios. Igor defende o papel social dos Correios, e destaca que é o único órgão federal presente em todas as unidades federativas do Brasil: “É o braço logístico do Brasil. A universalidade do serviço postal está na constituição, o fechamento das agências, em todo o país, precisa ser revista, pois está ferindo o direito fundamental aos brasileiros”.

Já o pesquisador Max Leanon, do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), ressaltou que a empresa tem arrecadação “robusta” e que alguns elementos contribuíram para o déficit a partir de 2015, como a crise econômica. De acordo com ele, a despesa de pessoal da empresa é compatível com empresas internacionais que atuam no setor.

Sem-Título-3

07

A Deputada Luciana Santos (PcdoB/PE) discursou em defesa dos correios. Segundo ela “Os correios tem mais 350 anos e, por isso, seu papel vai muito além da tecnologia logística, mas tem a função de integração nacional. Sendo a empresa que tem maior confiabilidade da população, ela tem um papel social e cultural”.

Uma nova audiência acontece nesta terça-feira (6). Desta vez, o debate será no Senado, e a FINDECT participará, levando a voz dos Trabalhadores, que pedem o apoio dos parlamentares na defesa dos correios. “Estarei no Senado, nesta terça-feira, levando nosso projeto de fidelização, que encerrará com o discurso de déficit dos Correios. A direção da Empresa pede solução para os problemas financeiros, nós estamos oferecendo. Somente os Trabalhadores e Trabalhadoras, que conhecem a história desta Empresa, poderão contribuir para o resgate dos Correios”, afirma o Presidente da FINDECT, José Aparecido Gandara.

 

Confira abaixo mais fotos:

Notícia publicada dia 05/06/2017

Compartilhe esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *