Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

Assembleia rejeita provocação da ECT e debate a luta contra o PL 591

Notícia publicada dia 14/07/2021 09:37

Tamanho Fonte:

Assembleia realizada na terça, 13 de julho, analisou a proposta da direção militar da ECT, de reajuste zero, banco de horas e acordo com menos cláusulas e direitos, tirados nos dois anos passados, rejeitou essa provocação barata e aprovou a intensificação da mobilização!

Também debateu a luta para impedir a aprovação do PL 591, que já conta com pressão sobre os parlamentares e teve atos em Brasília e nos Estados nessa terça. No Rio de Janeiro o ato foi realizado em frente ao edifício sede dos Correios e mais tarde seguiu para a Candelária.

A defesa da saúde e da vida do trabalhador ecetista, que atuou em toda a pandemia e continua a se expor ao risco de contaminação e morte, entrou no debate e indicou a intensificação da luta pela antecipação da vacina para todos imediatamente.

Não ao PL 591 e ao relatório de Gil Cutrim

Os dirigentes do Sindicato Marcos Sant’aguida, Rose Leodoro e Pedro Alexandre coordenaram a assembleia. Levantaram o absurdo que é privatizar uma empresa que tem papel essencial junto à população, sendo mais eficiente na logística e entrega de vacina, medicamento, provas do Enem, medicamentos e livros didáticos que qualquer outra no país, até os militares.

O governo e seus seguidores querem dar um golpe na categoria e no povo brasileiro com esse projeto de privatização. Por isso o Sindicato chama todos os trabalhadores a protestarem contra o deputado bolsonarista Gil Cutrim e seu relatório entreguista do patrimônio nacional.

O SINTECT-RJ convoca toda a categoria para ir às ruas no dia 24/07, pelo Fora Bolsonaro. No Rio de Janeiro em breve será confirmado o local. É importante desgastar e colocar esse governo pra fora, para defender os Correios e a vacinação para todos os ecetistas e toda a população.

Os dirigentes do Sindicato agradeceram aos partidos que entraram com representação junto ao STF, solicitando a inconstitucionalidade do projeto de privatização dos Correios, uma vez que o próprio Procurador Geral da República, indicado por Bolsonaro, apontou que a Constituição proíbe passar o serviço posto à iniciativa privada.

Em defesa da saúde do trabalhador

No estado do Rio de Janeiro a vacinação avançou devido ao trabalho da diretoria do Sindicato que se empenhou pela inclusão da categoria ecetista ao grupo prioritário de vacinação. A direção da empresa não fez nada, mesmo com toda a insistência e luta do Sindicato, política e jurídica, e ainda teve a cara de pau de publicar em seu primeira hora que se esforçou para garantir a vacinação que agora está ocorrendo. Mentiras e mais mentiras!

Todos na luta!

Resultado da votação:

Compartilhe agora com seus amigos