Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

Brasil passa de 255 mil mortes por Covid com contaminação crescendo

Notícia publicada dia 02/03/2021

Tamanho Fonte:

Mortes somam mais de 255 mil e casos, quase 10,6 milhões; Só em fevereiro foram 30.484 mortes por Covid-19, 2º maior número em toda a pandemia

O funcionamento da economia continua mais importante que a preservação da vida para o governo e a direção militar da ECT, pois frente ao atual crescimento da pandemia com recorde de internações em UTIs e de óbitos por dia e da lotação das vagas nos hospitais, continuam mantendo a categoria ecetista trabalhando sem medidas de segurança que garantam a preservação da saúde e da vida!

Os números informados pela secretaria de Saúde do Rio de Janeiro, registraram, até esta segunda-feira (01), 583.795 casos confirmados e 33.093 óbitos por coronavírus no estado. Nas últimas 24h, foram contabilizados 751 novos casos e 13 mortes.

O problema de todo o estado do Rio de Janeiro é concreto, como também em São Paulo e vários outros. O recorde de internações em UTIs devido à Covid-19 desde o começo da pandemia, em fevereiro do ano passado, tem sido batido quase todo dia.

O país bateu recorde de média móvel de mortes por Covid-19 pelo terceiro dia consecutivo, e só no último dia 25 de fevereiro, foram registradas 1.582 novas mortes em 24 horas e o dia mais letal desde o início da pandemia. O país passa de 255 mil vidas perdidas, consolidando-se tragicamente como o segundo país no mundo a registrar o maior número de mortos pela covid, atrás apenas dos Estados Unidos com 504.738.

Quando o esperado era o anúncio de um toque de recolher ou lockdown, e de medidas de conscientização para combater o pior índice de isolamento social desde o início da pandemia, veio uma medida de eficácia limitada, batizada de toque de restrição.

Na prática, pouco muda em relação ao que já existe. Em seu anúncio confuso, o governo disse que apenas aumentará a fiscalização de aglomerações. Com isso continuará incentivando a população a agir como se estivesse tudo resolvido, espelhando a irresponsabilidade de seus governantes.

O que os governos estão fazendo é populista e insano!

Cedem a pressões políticas e econômicas, com um olho nas eleições e outro nos interesses do empresariado. E deixam o povo abandonado, com campanha de vacinação em ritmo lento, quase parando, que exigirá quatro anos para imunizar a população, enquanto variantes do vírus proliferam pelo país.

O isolamento social ainda é uma das poucas medidas eficazes para conter a transmissão da doença, como afirmam os especialistas. Para um deles, o Dr. Miguel Nicolellis, “o Brasil precisa aumentar o número de pessoas vacinadas por dia e instituir, simultaneamente, lockdown por entre duas e quatro semanas, exatamente como o Reino Unido fez”.

De fato, o argumento mais recente em favor das restrições vem do Reino Unido e de Israel, onde lockdowns derrubaram a taxa de infecção, associados a campanhas agressivas de vacinação, algo de que o Brasil está bastante distante.

A diretoria do SINTECT-RJ é a única entidade que conquistou uma importante liminar que garante o direito aos essenciais trabalhadores dos Correios ao direito de ir pra quarentena em caso de contaminação comprovada no setor de trabalho, medida extremamente importante pra conter o avanço do vírus.

Está provado que quanto mais a pandemia demora a ser erradicada, mais profunda e duradoura é a crise econômica.

Para o SINTECT-RJ a prioridade será sempre a vida dos trabalhadores e de suas famílias!

Compartilhe agora com seus amigos