Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

Destruição dos Correios e serviços públicos prejudica trabalhadores, suas famílias e a população

Notícia publicada dia 17/01/2020

Tamanho Fonte:

A política econômica do governo que está impondo seu projeto ultraliberal, sua doutrina neoliberal selvagem já aplicada no Chile, de acabar com todos os serviços prestados à população e com todas as estatais para entregar tudo ao mercado, aos empresários, deixando os trabalhadores com menos direitos e suas famílias na miséria!

O resultado disso é desastroso. Imagine educação do básico ao universitário e saúde só particulares, privados. Mesma coisa para aposentadoria e serviços de emissão de documentos. Bem como Correios. Além do petróleo, dos combustíveis e do gás, deixando o país ainda mais refém dos preços internacionais. E o fim de todos os direitos trabalhistas e da justiça do trabalho.

Um olhar cuidadoso para o Chile mostra o drama que é criado com o tempo. O resultado só pode ser a explosão da população empobrecida, sem direitos trabalhistas, sem saúde e educação, sem aposentadoria, sem emprego, sem nada!

O privado é melhor que o público?

Guedes quer o fim do estado como provedor de serviços e gerente de empresas estatais. Sua doutrina diz que a iniciativa privada regula tudo melhor. Garante o crescimento, o desenvolvimento e o emprego. Por isso quer vender tudo para as empresas, para o mercado.

Essa ideia de que a iniciativa privada garante qualidade, melhores serviços, regulação, crescimento, emprego é pura falácia!

O mercado capitalista e as empresas que o encabeçam almejam sempre o lucro. Por isso reduzem tudo a números. As pessoas de carne, osso e sentimentos desaparecem. O que interessa é reproduzir e aumentar o dinheiro. Se isso não ocorrer, não interessa o direito de ninguém. As empresas farão de tudo para manter a lucratividade e ampliar a acumulação de capital.

O ultraliberalismo de Guedes cria a lei da selva. Cada um por si. O mais forte impondo o que interessa. Ou seja, o mais rico, maior, mais poderoso impondo sua vontade. Enquanto estiver dando certo, com o país em crescimento e os ricos ganhando muito, os mais pobres receberão migalhas e não reclamarão. Mas quando vier a crise, que sempre vem no capitalismo, o desemprego, a fome e a miséria explodem!

É necessário lutar

Por isso os trabalhadores e trabalhadoras precisam entender a realidade, se unir e lutar contra a venda da ECT e de todas as estatais, contra a privatização da saúde e da educação, contra o fim dos serviços públicos prestados ao povo, contra o esvaziamento do estado.

Governo mente sobre os Correios para justificar a venda

DÁ E SEMPRE DEU LUCRO

Os Correios mantêm suas operações e investem em melhorias com recursos próprios, sem depender de dinheiro público e nem onerar a população que paga impostos.

Os Correios sempre deram lucros e repassaram dividendos ao Governo Federal.

A retirada excessiva de dividendos pelo Governo Federal nos últimos anos – entre 2011 e 2016- calculada em R$ 6 bilhões comprometeu os resultados. Mas a empresa ampliou serviços, se recuperou e deu lucro em 2017, de R$ 667 milhões, em 2018, de R$ 161 milhões, e 2019 a previsão é de recorde de lucratividade e receita.

Num país enorme e com dificuldades logísticas, ter uma empresa de Correios auto-sustentável e eficiente é um feito a ser comemorado, pois o governo pode aplicar seus recursos em outras frentes, como a saúde, a educação e a segurança, satisfazendo toda a sociedade.

Trabalhador (a) se engaje nessa luta e defenda seu emprego, direitos e sua família!

Compartilhe agora com seus amigos