Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

COVID-19 se alastra por dentro das unidades dos Correios no Rio.

Notícia publicada dia 07/01/2022 19:13

Tamanho Fonte:

“Já perdemos vidas demais para essa doença, precisamos nos prevenir” declara a secretária geral do SINTECT-RJ, Rosemeri Leodoro diante do surto de COVID em diversas unidades da empresa no Rio de Janeiro. Somente no Prédio Central já foram confirmados mais de 20 trabalhadores infectados e no CDD Recreio foram confirmados sete trabalhadores com COVID-19. “Estamos vendo dezenas de companheiros ficando doentes em todas as unidades, e a gestão negacionista da empresa tentando burlar a lei fazendo com que mais trabalhadores fiquem doentes,” protesta a diretora. 

O presidente do SINTECT-RJ, Marcos Sant’aguida, destacou que a empresa tem que afastar os trabalhadores que tiveram contato com quem estava contaminado pelo coronavírus como manda a decisão liminar da Justiça do Trabalho. “Se na sua unidade algum companheiro ficou doente, você deve imediatamente apresentar o formulário de afastamento para trabalho remoto por no mínimo 15 dias. Isso é um direito garantido pelo Sindicato na Justiça. Ninguém deve abrir mão deste direito sob pena de mais companheiros ficarem doentes,” destaca o presidente do Sindicato. 

Marcos alerta ainda para a necessidade de se fazer o teste rápido imediatamente, em função do alto grau de contaminação do atual estágio da doença. “Temos que preservar a nossa saúde e de nossa família. Faça o teste rápido, reforce sua proteção com máscaras de qualidade, lave as mãos e use álcool gel, além é claro de manter o distanciamento imprescindível nessa situação,” alerta o presidente.

CDD Recreio mostra a cara do negacionismo da gestão no Rio de Janeiro

A unidade registrou pelo menos 7 casos confirmados e aguarda ainda o resultado dos exames de mais quatro trabalhadores. A secretária da mulher trabalhadora do SINTECT-RJ, Débora Henrique, esteve na unidade e constatou que a maioria dos trabalhadores que tiveram contato com os doentes não foram afastados e continuam trabalhando. “A gestão da empresa se recusa parar a unidade para que seja higienizada, como manda o protocolo da Justiça. O negacionismo desrespeita a justiça e a saúde do trabalhador, a gente reza para que nada de pior aconteça,” destaca a diretora. 

O diretor Jurídico do Sindicato, Fagner Lopes, convoca os trabalhadores para entrarem em contato com o Sindicato para informar sobre os casos de COVID-19 nas unidades. “Precisamos que os trabalhadores entendam que as medidas garantidas na Justiça são direitos conquistados. Não se pode abrir mão. Nossos advogados estão trabalhando com a carga máxima para dar conta de tantos absurdos cometidos pela gestão da empresa no Rio de Janeiro,” destaca. 

Segundo o secretário de saúde do trabalhador, Cristiano Galvão, que esteve no CDD Cidade Nova, o não afastamento dos trabalhadores pode ser ainda pior para a empresa, uma vez que mais trabalhadores poderão ser afastados por estarem doentes. “É prova de incompetência, se não afastar quem teve contato com contaminado, vai contaminar mais gente até parar todo o sistema de produção da empresa por conta de contaminados com COVID-19. Para complicar, é essa contaminação em massa que faz o vírus fazer mutação e gerar nova cepa. Se as pessoas continuarem se contaminando, pode vir uma versão da doença ainda mais fatal e que ignore os benefícios da vacina. Se proteja, seja a favor da vida,” finaliza o diretor. 

PASSO A PASSO DE PROTEÇÃO AO COVID-19 NOS CORREIOS

Compartilhe agora com seus amigos