Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

Diretoria do SINTECT-RJ repudia comunicado da GEPES/RJ

Notícia publicada dia 10/05/2022 13:35

Tamanho Fonte:

A direção do Sindicato dos trabalhadores do Estado do Rio de Janeiro repudia o comunicado da GEPES/RJ sobre a instalação do ponto eletrônico nas unidades dos Correios do Rio de Janeiro. No documento, a gestão Bolsonarista da empresa coloca o encerramento do ponto do mês de abril/2022 no dia 06/05, como a etapa de testes do sistema. O problema é que o sistema só começou a ser implantado, em algumas unidades do Rio de Janeiro no início do mês de Maio, sem qualquer orientação ou treinamento das equipes e dos gestores. O Sindicato garante que não é verdade que o ponto do mês de abril serve de mês piloto ou de testes. Se assim mantiverem, vão prejudicar violentamente o contracheque dos trabalhadores, causando mais prejuízos para quem bate cartão a vida inteira.

A direção do SINTECT-RJ reafirma que  a gestão da empresa age de forma desordenada, desorganizada e negligente com as boas práticas na relação com os trabalhadores.  A incompetência gera falta de informação sobre o projeto do ponto eletrônico e cria um ambiente de desnecessário conflitos com os trabalhadores.  A diretoria do Sindicato entenderá como má fé, caso haja retirada de direitos dos trabalhadores em função da atrapalhada ação dos gestores em implantar o ponto eletrônico. O Comunicado da GEPES/RJ não reconhece quando os equipamentos foram instalados nas unidades, e nem mesmo leva em conta as unidades que ainda não contam com o equipamento. Para piorar, o manejo de pessoal que vem ocorrendo de forma irregular, dificulta ainda mais a situação caótica da falta de informação. Nesse sentido, manter o mês de abril como piloto é um erro calculado na base do prejuízo para o trabalhador. 

A nota mostra ainda que o sistema não é tão intuitivo, principalmente quando muda radicalmente procedimentos que fazem parte do cotidiano da empresa e de sua cultura corporativa. Falta informação até para os gestores nas unidades. Isso tudo é resultado da falta de preparo de gente que não veio para empresa com fins de melhorar a atuação da empresa para atender a população e muito menos para melhorar as condições de trabalho. 

A nota inspira o autoritarismo que não dialoga democraticamente com a representação dos trabalhadores para construir saídas conjuntas, que melhorem as condições de trabalho e que reflitam diretamente na melhoria do serviço para a sociedade. Não dialogar com a representação dos trabalhadores remonta à época dos militares, em que os trabalhadores estavam proibidos de reivindicar seus direitos, sob pena de serem mortos. 

Enfim, a gestão atual dos Correios não tem competência para gerir nem ao menos um simples programa de marcação de ponto eletrônico. Estão obcecados em retirar direitos dos  trabalhadores que são incapazes de racionalizar no que é melhor para os Correios, para o povo e para o país.

Compartilhe agora com seus amigos