Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

SINTECT-RJ realiza ato no edifício sede e fortalece a mobilização dos trabalhadores

Notícia publicada dia 05/09/2019

Tamanho Fonte:

Os trabalhadores do RJ realizaram, nesta quarta-feira (4), um ato contra o desmonte e privatização dos Correios, ataque aos direitos e chama categoria para luta no dia 10.

A mobilização ocorreu na entrada do edifício sede dos Correios, CTC Cidade Nova, onde a diretoria do SINTECT-RJ e demais Trabalhadores coletaram assinaturas contra a privatização da empresa, fortalecendo a grande mobilização dos trabalhadores rumo a grande Assembleia da categoria no próximo dia 10/09.

O grande ato promovido pelo SINTECT-RJ foi fundamental para conscientizar os ecetistas e a população sobre a importância de defender os Correios 100% público.

E para defender os Correios contra as ameaças de privatização e retirada de direitos, é fundamental o engajamento dos Trabalhadores e Trabalhadoras de todo o Brasil.

“Em 356 anos de existência, a ECT consolidou o seu protagonismo na integração, desenvolvimento econômico e social do Brasil. Não faz sentido privatizar uma empresa lucrativa e fundamental para a população. Mas é isto o que vem sendo planejado pelo governo Bolsonaro. E vamos resistir e lutar em defesa de nossos direitos”, disse Ronaldo Martins, Presidente do SINTECT-RJ.

A empresa e Governo federal tem dado as costas e esnobado até o TST, dificultando todas as tratativas de negociação. Propondo a exclusão e alteração de 45 cláusulas do atual acordo coletivo, sob o argumento de que precisa reduzir os “gastos” senão a empresa irá quebrar.

Tal argumento contradiz os números da ECT nos últimos 2 anos, em que registrou lucro, aumentando seu faturamento, porém impondo uma política retrógrada de redução do quadro de funcionários – déficit de 27 mil Trabalhadores – além do fechamento de agências, e agora propõe a retirada de diversos direitos históricos da categoria, justamente para deixá-la atrativa para facilitar sua venda.

Os Correios sempre tiveram um papel importante para a sociedade e o atual governo está reduzindo o papel social da empresa. Com a privatização, todos os brasileiros serão prejudicados, seja pela piora na qualidade do atendimento ou pela redução de sua atuação nos municípios brasileiros.

O SINTECT-RJ alerta a toda população que a privatização do empresa pode gerar sérios problemas para o Brasil. Em vários municípios brasileiros, os Correios é responsável por praticamente quase todos os serviços sociais. Chegando a ser a única instituição pública que está presente para oferecer serviços bancários à população, principalmente a de baixa renda.

As empresas privadas estão sempre pensando na obtenção de mais e mais lucros, elas não têm interesse em desempenhar este papel social na maioria dos municípios brasileiros por não ser atrativo financeiramente, só este argumento é fundamental para destacar a importância de se manter a empresa de Correios pública e estatal.

Para barrar esse processo de desmonte e retirada de direitos da categoria, é necessária muita mobilização dos trabalhadores em todo o país. A categoria sempre foi e será aguerrida, e por isso se destaca e vem sendo atacada pelo atual governo, por nunca abaixar a cabeça e aceitar a retirada de direitos e conquistas históricas.

E nessa campanha salarial não será diferente. Por isso o sindicato ressalta e chama toda categoria pra lotar a Assembleia no dia 10 e mostrar para o governo e a direção da empresa que os Trabalhadores do RJ irão lutar pela manutenção de todo Acordo Coletivo.

O SINTECT-RJ permanecerá incansavelmente alertando sobre a importância dos trabalhadores manterem mobilizados nessa campanha. E nos próximos dias o sindicato realizará mais atos e utilizando este tempo até a dia da Assembleia para fortalecer a luta e a resistência contra a retirada de direitos da categoria.

Todos a Assembleia no dia 10/09, às 19h00, na praça de guerra.

Compartilhe agora com seus amigos