Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

Nota de repúdio ao vandalismo contra sindicatos em Macaé

Notícia publicada dia 10/11/2022 16:11

Tamanho Fonte:

Em defesa da democracia, baseados na fraternidade, da solidariedade e da igualdade, nós do SINTECT-RJ repudiamos veementemente os atos de vandalismo praticados contra as sedes das seguintes entidades sindicais: Sindicato dos Ferroviários e Sindicato dos Professores das Escolas Particulares de Macaé. Na ocasião em que centenas de correligionários da vão às ruas protestar contra a vitória de Luis Inácio Lula da Silva nas eleições presidenciais, essas entidades foram vandalizadas com as cores escolhidas pelo derrotado nas urnas, o atual presidente Jair Bolsonaro. 

Destacamos que pintar de verde e amarelo os sindicalistas do nosso país não nos ofende. Ao contrário, para nós é motivo de muito orgulho, por termos a certeza que nossa fonte patriótica foi construída para defendermos a democracia e a liberdade como patrimônios inalienáveis de nossa nação. O vandalismo outrora feito por razões obscuras a tolerância, referenda nossa posição de lutar para garantir a soberania nacional contra as intervenções estrangeiras nas decisões e rumos de nosso país. Nosso verde e amarelo é muito mais limpo por estar cercado de todas as cores que promovem a integração e o respeito dos mais diversos povos que habitam no imenso país. 

O vandalismo e a violência ora apresentados contra as entidades sindicais, representa o obscurantismo que domina a cena política em nosso país que reza por uma cartilha contrárias aos interesses do povo e de nossa nação. Regido por mãos estrangeiras de olho em nossas riquezas, nossas empresas e em nossa capacidade de se reinventar e se transformar numa referência mundial em desenvolvimento econômico baseado na justiça social e no bem estar da população. 

O ato de violência mostra apenas que tipo de país essas correntes ultra conservadoras realmente querem. Sem democracia, direitos do povo e sem as instituições da justiça. Por fim, um país sem leis, em que os mais ricos possam impor através da dominação econômica suas vontades ao povo. 
A diretoria do SINTECT-RJ, em nome da sua representação da região dos lagos, deseja a todos os sindicalistas da região coragem para enfrentar esse momento político com sabedoria e espírito público. “Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas. Mas jamais conseguirão deter a chegada da primavera” – Lula.

Compartilhe agora com seus amigos