Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro

Siga nas redes:

Filiado a FINDECT Filiado a CTB

#SAIUNAMÍDIA – 2016: sem concurso para carteiro

Tamanho Fonte:

Com déficit de 200 carteiros na região e sem previsão de concursos, população sofre com problemas no serviço.

destaque_saiu_na_midia_2016_correios_sem_concurso_19_07_2016

A população de Niterói que tem sofrido com falta de regularidade nos serviços prestados pelos Correios, ao que parece, terão que esperar mais algum tempo para receber as correspondências como deveria. Com um déficit de 200 carteiros na região de Niterói e São Gonçalo e sem previsão de concurso para esse ano, a tendência é que o problema continue. Já com relação à reclamação dos próprios Correios e do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro (Sintect-RJ), a assessoria da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro informou que os batalhões mantêm contato com os Correios para criar estratégias de policiamento e, quando há necessidade, intensifica as rondas ostensivas.

Há dois meses, Pedro de Paiva Sales vem tendo problemas com o recebimento de suas correspondências. O idoso precisou se deslocar até o Centro de Entrega de Encomendas (CEE) dos Correios da Rua Saldanha Marinho, no Centro de Niterói. “Moro no Ingá há 45 anos e nunca vi essa situação. Nunca tive esse tipo de problema, pois antigamente existia um carteiro fixo na minha região, agora parece que não tem mais. Eu já liguei para os Correios para reclamar várias vezes. Em uma delas, falaram que estavam sofrendo com a falta de carteiros, na outra eles falaram que iriam entregar, mas não entregaram. Vim aqui hoje para buscar as correspondências e estou esperando”, afirmou o aposentado de 80 anos.

Ana Carolina Rezende, de 25 anos, esteve na CEE Noronha Torrezão, em Santa Rosa, e reclamou da falha de comunicação entre os Correios e da precariedade do serviço. “Recebo encomendas todos os meses e praticamente sempre tenho que vir até aqui para buscar. Da última vez, por telefone, uma atendente me disse que o atendimento aqui era até às 17h. Cheguei às 16h e me informaram que o atendimento era só até às 15h, fui embora de mãos vazias. Quando ligo para a Central de Atendimento, eles nunca sabem informar qual é o problema e nem em que centro de entrega está. Dessa vez, eles alegaram que não entregaram na minha casa pois tiveram problemas internos. Nesse mês, eles só me disseram que a minha encomenda estava aqui após eu insistir muito, muito mesmo”, declarou a artesã, que depende do serviço para trabalhar.

Já a dona de casa Eliane Oliveira Cruz de Moura, de 42 anos, realizou uma compra pela internet e não recebeu sua mercadoria no prazo indicado pelos Correios, precisando se deslocar até o CEE Noronha Torrezão. “Essa encomenda deveria ter chegado, no máximo, até a semana passada. Antes, as mercadorias que comprava chegavam no prazo certo. Eles afirmaram que não encontraram ninguém em casa. Fui até os Correios do Fonseca, mas me afirmaram que a mercadoria estava aqui. Agora acabo de receber a notícia de que minha encomenda voltou ao remetente. É um absurdo”, reclamou a moradora do Fonseca.

Segundo a assessoria de imprensa dos Correios-RJ, não há previsão de realização de concurso público para este ano. No momento, os Correios estão reavaliando todos os estudos relacionados ao quantitativo de vagas a serem preenchidas, bem como a necessidade de força de trabalho em cada localidade. Neste período, não serão contratados novos empregados.

Fonte: O Fluminense

Notícia publicada dia 19/07/2016

Compartilhe agora com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *